Os 5 maiores medos dos futuros trainees e como lidar com eles

Os 5 maiores medos dos futuros trainees
Curta e compartilhe nosso conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •   

Em fevereiro de 2015, a Seja Trainee lançou uma enquete para descobrir quais as maiores angustias e medos dos candidatos a trainee que estão participando dos processos seletivos. A pesquisa recebeu mais de 300 respostas e foi com base nestas opiniões que realizamos a Palestra Online Colaborativa – As Angústias do Candidato.

Selecionamos as 5 maiores angústias do candidato, que foram foco de nossa discussão! Se você não pode participar não se preocupe, trouxemos os principais pontos abordados durante a palestra.

1° lugar: Fazer minha apresentação pessoal levando em conta tempo e conteúdo

Em média, as empresas reservam de 1 a 3 minutos para cada candidato se apresentar. O tempo é cronometrado rigidamente e aí fica a dúvida: como posso contar mais sobre mim em tão pouco tempo?

A primeira coisa importante é saber que os avaliadores não têm a pretensão de conhecer toda a sua trajetória em tão pouco tempo. Nesse sentido, duas coisas são necessárias:

– Filtro: Escolha algumas experiências mais marcantes em sua trajetória. Lembre-se que os avaliadores têm seu currículo em mãos e que nesse momento, mais vale contar sobre algumas poucas experiências importantes, explorando seu perfil profissional e motivações para seu futuro profissional.

– Treino: Flávia Queiroz, gerente de projetos da Page Talent, trouxe a importância de treinar a apresentação. O tempo é curto e para aproveitá-lo da melhor forma é essencial treinar. Dessa forma, você pode encontrar uma linha de raciocínio que facilite na hora de mostrar mais sobre você, além de te deixar mais seguro na hora de se expor.

2° lugar: Sinto que não conheço meu perfil profissional o suficiente

Seja em uma dinâmica de grupo, entrevista ou painel de negócios, é imprescindível conhecer seu perfil profissional.

O processo seletivo é uma forma de conhecer os candidatos, suas competências e motivações de carreira. A melhor pessoa para contar sua história é você mesmo. Se você tem dúvidas sobre seus pontos fortes, fracos e sobre o que está buscando no mercado, o avaliador nem sempre consegue avalia-lo apropriadamente.

Na palestra online, muitas pessoas trouxeram a dificuldade de se colocar no grupo ou até mesmo de mostrar o potencial em uma entrevista com gestores. Quando mais clareza você tem de seus recursos, interesses e valor de sua trajetória, melhor. Isso faz de você um candidato que possui autoconhecimento e clareza do que quer para seu futuro de carreira.

3° Não sei o que é avaliado nas fases presenciais

Flávia Queiroz contou que as fases presenciais fazem uma avaliação comportamental. A dinâmica de grupo busca entender o estilo comportamental de cada candidato. Dependendo da área de atuação e competências necessárias, alguns candidatos serão selecionados e outros não. A reprovação, nesse sentido, não está atrelada à falta de capacidade, mas sim a uma incompatibilidade com o perfil que aquela empresa está buscando.

Já o painel de negócios traz uma proximidade com o negócio da empresa. É um momento onde a área de atuação é levada em conta. Por isso os gestores costumam participar da avaliação em conjunto com o RH.

Por fim, a entrevista é uma fase onde os gestores tiram as últimas dúvidas sobre os candidatos, confirmando as competências e perfil para cada área.

4° Não recebo feedback nas fases comportamentais

Ao falar sobre feedback, é preciso considerar dois aspectos:

Auto avaliação

Muito mais do que exigir o feedback dos avaliadores é importante também criar o hábito da auto avaliação. Você mostrou o seu melhor? Em que momentos teve mais dificuldade de participar? É a chance de criar consciência sobre seu perfil, na prática. Ou seja, o que tenho facilidade em fazer? Onde perco energia? Onde posso melhorar?

Não tome o Feedback ao pé da letra

O feedback é fonte de desenvolvimento pessoal e profissional. No entanto, tome cuidado com o feedback que recebe para um processo e outro. O avaliador não está buscando “o melhor candidato” e sim o melhor perfil para determinado contexto. Algumas empresas podem estar em busca de um perfil mais criativo, enquanto outras buscam perfil mais analítico. Não se molde a partir de um feedback porque isso pode confundi-lo em seu próprio autoconhecimento. O importante é avaliar o feedback pensando em seu perfil e empresas que tem sua cara.

5° Sinto que tenho menos experiência que outros concorrentes

Antes de se comparar aos outros concorrentes é importante se questionar: o que é experiência para você? Muitos candidatos ficam inseguros por achar que experiência válida é aquela de mercado, como estágios ou trabalho CLT.

Experiência vai muito além disso. E a importância dela depende muito de como você se apropriou de seus aprendizados. Ou seja, qual foi o seu papel, quais competências foram desenvolvidas?

E aí, você se identificou com as angústias dos candidatos que estão participando de processos seletivos?

Acreditamos que o primeiro grande passo é tomar consciência do que são suas preocupações e barreiras. A partir disso, o segundo passo é a busca pelo autoconhecimento e perfil profissional, dessa forma você tende a se desenvolver ainda mais como profissional, em um ambiente de trabalho alinhado a seus propósitos e objetivos profissionais.

Aproveite o site da Seja Trainee e conteúdos de preparação para entrar nos processos seletivos carregando seu melhor!


Curta e compartilhe nosso conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •   

Leave a Comment





Comente