Estratégia de inscrição: conheça as 10 mais comuns

Curta e compartilhe nosso conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •   

Perguntamos para vários candidatos: “Qual a sua estratégia de inscrição?” Confira as 10 estratégias mais comuns e fique de olho no que é melhor para sua carreira!

Primeiramente, fizemos uma pesquisa com candidatos a trainee e a pergunta foi: “Qual é a sua estratégia de inscrição?”

Depois, reunimos as 10 melhores estratégias na hora de se inscrever que podem te inspirar para a primeira fase do processo!

Mesclamos alguns depoimentos na íntegra com alguns de nossos comentários sobre algumas estratégias. Dá uma olhadinha na lista!

Estratégia 1: Por segmento

“Minha estratégia de inscrição é prestar para instituições do mesmo segmento.  Por exemplo, o que mais quero prestar é o Itaú, mas como não quero prestar apenas um programa de Trainee,  pretendo prestar também para o Citi, Safra e outros bancos,  porque assim, estudarei cada empresa,  mas no momento de estudar sobre o segmento financeiro, será praticamente o mesmo conteúdo”. 

A vantagem de se inscrever em empresas do mesmo segmento, é que a atuação da empresa é a mesma. Por exemplo: o candidato que gosta do mercado financeiro tende a se interessar por esse assunto, independentemente da empresa!

Por outro lado, é importante lembrar que, de fato, as culturas entre empresas de um mesmo segmento podem ser bem diferentes. A experiência de um trainee Itaú, um trainee Safra e um Trainee BTG Pactual com certeza será diferente em todos os sentidos. Não caia nessa armadilha de achar que é “tudo a mesma coisa!”

Estratégia 2: por pré-requisitos + segmentos

“Olho os pré-requisitos e o segmento da empresa, caso eu atenda aos pré-requisitos e o segmento for do meu interesse, me inscrevo. Nos finais de semana, realizo pesquisas em sites como Mytrainee, VagasNa Pratica, Cia de Talentos, dentre muitos outros”

Muita gente usa a estratégia dos pré-requisitos! Ela é interessante para você participar de alguns processos seletivos e conhecer realidades diferentes. No entanto, o perigo dessa estratégia é que a empresa te escolhe, mas nem sempre você escolhe a empresa!

Estratégia 3: Sem estratégia de inscrição

“Me inscrevo em banco, padaria, indústria, empreiteira, varejo, instituição militar e vou na que passar.  Se passar em mais de uma, vou na que pagar melhor ou na que tiver job rotation. E claro, sempre com o papo de “sonho em trabalhar aqui”

É claro que é importante avaliar melhores salários, melhor programa de desenvolvimento, melhor estrutura! Mas cuidado para não “leiloar” sua carreira. Mais importante que tudo isso, é estar em uma ligar que se conecta com seu estilo de trabalho, com seus objetivos de carreira e com suas motivações profissionais!

Estratégia 4: Networking

A estratégia do Networking é aquela que se baseia não só nos seus esforços, conhecimentos e pesquisas, mas também na experiência do outro. Basicamente, ela consiste em conversar com colegas, professores e funcionários de diversas empresas buscando entender como é trabalhar diariamente ali.

Essa estratégia é muito boa, já que envolve uma pesquisa que vai além do site da empresa. Saber como é o dia-a-dia da empresa, suas regras, hábitos, sua cultura é extremamente importante!

Por outro lado, vale lembrar que experiência é algo único. Uma experiência que pode ser incrível para seu colega, pode ser péssima para você. Analise, pergunte, aprofunde. Entenda quais características do ambiente de trabalho te agradam ou desagradam!

Estratégia 5: Projeção dentro da empresa

“Para mim, não há nada mais importante do que me identificar com a empresa e conseguir me imaginar trabalhando ali dentro”

Quando falamos em cultura, estamos falando em:

  • Hábitos
  • Regras
  • Comunicação
  • Dress code
  • Crenças
  • Jeito de buscar resultados
  • “Clima”

Trabalhar em uma empresa que pensa e age diferente de você, pode ser bem frustrante. Pesquise bastante antes de entrar em uma empresa que não valoriza o seu estilo de trabalho!

Estratégia 6: “Menos é mais”

Outra estratégia comum é menos é mais. Ela começa com poucas empresas escolhidas. É ótima para candidatos que tendem a perder o foco.

Isso porque o candidato deve escolher poucas e boas empresas para se dedicar ao processo. Isso tudo é feito com muita cautela.

A candidata que compartilhou essa estratégia conosco contou que listou 5 empresas favoritas em que ela esteja dentro dos requisitos. Ela pretende estudar bastante sobre todas elas (o que se torna possível com o número reduzido de escolhas) e vai priorizar as favoritas para uma fase de estudos avançados.

Estratégia 7: Foco nas fases iniciais

“Elaborei uma planilha contendo em torno de 50 empresas que eu gostaria de trabalhar. A planilha possui as datas prováveis que ocorrerão os processos seletivos e os níveis de inglês exigidos por cada empresa, para que eu não perca nenhuma data. Estou me preparando principalmente para as etapas online, etapas que, ao meu ver, tenho mais dificuldade em apresentar bom desempenho. Estou lendo alguns livros sobre oratória e como manter bons relacionamentos interpessoais, visando melhorar a minha comunicação. Tento me policiar para todos os dias estudar um pouco de inglês para melhorar o meu nível”.

Estratégia 8: Meu tempo vale ouro!

A estratégia do tempo de ouro é aquela que considera que tempo é, literalmente, dinheiro. O candidato contou que no começo, se aplicava para quase todos os trainees que se encaixam nos seus pré-requisitos. Mas no meio do caminho, percebeu que isso demandava bastante tempo: não só de procura por vagas, em completar questionários, mas também o tempo de ir em dinâmicas, etc. Ele resolveu revisar sua estratégia e fez um corte de opções que poupou sua agenda de muitos processos que não o interessavam!

Estratégia 9: Aperfeiçoamento constante

“Num primeiro momento, eu vejo os processos seletivos abertos e analiso quais programas de trainee são melhores pra mim. Meus critérios são: a área de atuação, as vantagens do programa, o tempo como trainee, remuneração, plano de carreira. Depois analiso a empresa, se ela é compatível com a minha personalidade, meus valores, essas coisas.

Depois, meu maior desafio é encarar o processo seletivo, o que tem sido o mais difícil atualmente. Sempre procuro informações sobre o processo seletivo da empresa. Me preparo o máximo que eu posso. Sempre anoto quando sou rejeitada e em qual etapa, pra quando eu me inscrever de novo futuramente, eu mudar alguma coisa que possa ter causado a minha eliminação.

Essa é a minha estratégia e estou constantemente em busca de me aperfeiçoar pra melhorar meu desempenho nos processos e conseguir a tão sonhada vaga de trainee”.

Estratégia 10: [  _________________ ]

Nossa mensagem principal:  Não espere as negativas do processo para começar a ter uma estratégia!


Curta e compartilhe nosso conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •   

Leave a Comment





Comente